It’s only rock and roll, ou uma breve história do rock’n roll

“One, two, three o’clock, four o’clock, rock!”, Bill Haley em “Rock Around the Clock”

 Se eu acreditasse em coincidências, acharia graça que a chamada “geração silenciosa”, marcada pelo fim da Segunda Guerra Mundial, fosse quem ecoou o brado do que seria denominado rock’n’rollUma instigante mistureba do country, blues, R&B e gospel que rolavam no final dos anos 40 nos Estados Unidos. Uma resposta em contratempo das comunidades afro-americanas, que tinha haver com música e requebrar o esqueleto, mas também dizia muito sobre a cultura, a religião e a guerra que essas pessoas enfrentaram.Que mundo elas desejam para o futuro? Falar sobre rockn’roll é falar sobre atitude!

Eventos comunitários, festivais ou procissões fúnebres, todos apresentavam bandas de música na Nova Orleans do fim dos anos 40

Rocking-and-Rolling

O termo Rocking definia o êxtase, a catarse espiritual. Era comum entre os cantores gospel negros do sul dos Estados Unidos. Chick Webb e Ella Fitzgerald gravaram em 1937 “Rock It for Me“.▼

“So won’t you satisfy my soul with the rock and roll”
“Então, você não vai satisfazer a minha alma com o rock and roll”

Já o verbo roll é uma metáfora medieval para relações sexuais! Expressão comum da época, eles usavam “They had a roll in the hay” para “Eles tiveram um rolo no feno” ou, “I rolled her in the clover” para “Eu transei com ela no trevo”, por exemplo. Nada tão empoderado quanto as letras atuais que evocam o sexo, em 1938 por exemplo, Buddy Jones gravou “She’s Sellin’ What She Used to Give Away”. É dele também “Rockin ‘Rollin’ Mama”.▼

Depois disso, Rock and Roll tornou-se sinônimo de atitude e passou a embasar campanhas e títulos de músicas por toda EUA do início da década de 50.

Rockabilly

Elvis, o “Rei do Rock”, em Jailhouse Rock (1957)

Cantores brancos como Elvis Presley, Carl Perkins e Jerry Lee Lewis, criaram um tipo novo de ritmo oriundo da música country. Já os negros norte-americanos protestavam contra a segregação de escolas e instalações públicas. Eles vieram da tradição do rhythm and blues negro. Tinham representantes como Fats Domino, Chuck Berry e Little Richard.

Apesar do clima de tensões raciais, ambos grupos (brancos e negros) trouxeram suas influências culturais, religiosas, estilos de vida, moda, atitudes e linguagem. Dos brancos, o rock herdou o “jazz de duas batidas”.

Rockabilly era a maneira de chamar os ‘hillbillies’ (caipiras) mas se tornou também uma das raízes do rock. Uma edição da revista Rolling Stone de 2004, argumentou que “That’s All Right”, de 1954, o primeiro single de Elvis Presley (com Scotty Moore na guitarra e Bill Black no baixo) foi o primeiro registro de rock and roll da história. ▼

 

Rhythm and Blues

A palavra Blue na língua inglesa significa também “triste”, “melancólico”

Especial apresentado por Kid Vinil no programa Som Pop em 1992 ▲

 

 

Referências bibliográficas

FRIEDLANDER, Paul. Rock and roll: uma história social. Record: São Paulo, 2002.

CHACON, Paulo. O que é rock?. Círculo do livro: São Paulo, 1993.

VINIL, Kid. Almanaque do rock. Ediouro: São Paulo, 1998.

[ux_products style=”normal” orderby=”sales”]

[button text=”ouvir a webrockradio – rock 24h” style=”outline” size=”large” expand=”true” icon=”icon-play” icon_reveal=”true” link=”https://www.webrockradio.com/playersite/” target=”_blank”]

One reply on “It’s only rock and roll, ou uma breve história do rock’n roll

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.